Cachaça e seus muitos nomes

by Ana Luiza Burnier

Em um país com mais de 160 línguas era de se esperar que o produto mais nacional que temos tivesse diversos nomes. Hoje vamos falar da nossa querida cachaça.

A história de origem desse destilado varia e seus apelidos acompanham cada hipótese possível. Os dois nomes mais conhecidos são pinga e aguardente, mas a história que originou a “pinga” também não é muito clara.


  1. Pinga

Existem duas narrativas principais. Uma diz que esse nome foi atribuído a bebida, devido ao processo de produção feito nas senzalas. O álcool evaporava, em seguida, condensava-se no teto em pequenas gotas que pingavam. 

A outra conta que pinga veio para substituir o termo dose. Como havia o hábito de consumir esse destilado em pequenas doses, o nome pinga surgiu para determinar o “tamanho” da dose, deixando claro que o cliente está pedindo algo pequeno, quase como se fosse uma gota que pinga da garrafa.


  1. Aguardente

O nome aguardente tem a mesma origem que a primeira história que contamos aqui em cima para falar da pinga. Quando as gotas do destilado escorriam do teto e pingavam nas costas dos escravos, as feridas ardiam, daí o nome. Ninguém sabe ao certo se esse é o motivo do nome, mas é hipótese mais viável e aceita. 

Esses são os nomes mais populares, mas existem centenas de outros e eles variam muito para cada região do Brasil. É aquilo né, não falta apelido carinhoso pro mozão. 







Deixe um comentário

Observe que os comentários precisam ser aprovados antes de serem publicados

Este site é protegido por reCAPTCHA e a Política de privacidade e os Termos de serviço do Google se aplicam.